06/11/2015 00:00:00 Presentes de Natal devem injetar R$ 122 milhões em Londrina

Fonte: Assessoria ACIL

A pesquisa de intenção de consumo encomendada pela ACIL apontou que 57,7% dos consumidores londrinenses pretendem comprar presentes de Natal em 2015 e 71,3% vão gastar com alimentos e bebidas para as festas de fim de ano.

O valor médio que cada consumidor pretende gastar com o total de presentes é R$ 506,73. Já o valor médio gasto por presente foi apontado em R$ 150,04. O número médio de pessoas a serem presenteadas por entrevistado é de 3,8. O valor médio dos gastos com alimentos e bebidas para as festas de fim de ano ficou em R$ 329,18 por consumidor.

Só os gastos com presentes devem injetar no comércio da cidade R$ 122 milhões. As entrevistas foram feitas com 300 londrinenses no início de novembro pela Litz Estratégia e Marketing.

Dos consumidores que não vão presentear, 24,4% alegaram não ter condições financeiras, 11% responderam que o motivo é a crise econômica e 10,2% disseram estar desempregados. Os demais entrevistados preferem economizar ou pagar outras contas.

A maioria dos entrevistados, 53,8%, irá presentear os filhos, 40,5% presentearão os pais e 39,3% comprarão os presentes para o companheiro/a.

Entre as opções para escolha dos itens estão roupas/vestuário (79,8%), brinquedos (43,4%), perfumaria (25,4%), calçados (22%) e eletrônicos (8%). As preferências com menores escolhas dos consumidores foram bijuterias, eletrodomésticos, livros, chocolates e celulares.

A maioria das compras deve ser feita nas lojas da região central. O centro é o local preferido de 66,5% dos entrevistados. Em seguida estão os shopping centers com 45,1% das preferências. 10,4% dos entrevistados revelaram que irão fazer compras em lojas de bairros e 5,2% pela internet.

Sobre a forma de pagamento dos presentes, 42,2% dos consumidores responderam que irão efetuar a compra à vista em dinheiro ou cheque, 30,1% irão parcelar as compras no cartão de crédito, 15% optarão pelo pagamento à vista no cartão de crédito, 12,7% preferem o cartão de débito, 3,5% responderam que utilizarão o crediário e 0,6% farão parcelas no cheque.

Ainda sobre as formas de pagamento, a maioria dos entrevistados respondeu que parcelará as compras em até três vezes no cartão de crédito. 19,2% farão em duas parcelas, 15,4% responderam cinco parcelas, 7,7% disseram quatro parcelas, 3,8% irão parcelar em dez vezes e 1,9% em oito vezes.

70,5% dos consumidores revelaram que a abertura do comércio a noite nos dias da semana e na tarde de sábado auxiliaria para a compra de Natal. Ainda sobre os horários para as compras, 44,5% dos entrevistados preferem a noite para procurar presentes, 31,8% optaram pela tarde, 19,1% responderam que preferem o período da manhã, 2,3% o horário do almoço, 0,6% preferem a madrugada e 1,7% não souberam responder.

Levando em consideração o Natal de 2014, 34,1% dos entrevistados responderam que pretendem gastar mais do que no ano passado, 34,1% igual ao ano passado e 31,8% revelaram que irão gastar menos que em 2014.

A pesquisa também revelou que os consumidores estão otimistas sobre a sua situação financeira para 2016. 46,7% responderam que deverá melhorar, para 30% permanecerá igual, 19,7% acreditam que poderá piorar e 3,7% não souberam responder.

Em relação à expectativa para a economia de Londrina em 2016, 36,7% acreditam que irá melhorar, 31% responderam que se manterá igual, 28% disseram que irá piorar e 4,3% não souberam responder.

Sobre o 13º salário, 29,2% revelaram que pretendem utilizar o recurso para pagar dívidas, 28,6% responderam que vão poupar, 14,1% disseram que vão pagar despesas de início de ano (como impostos) e os demais revelaram que irão viajar, comprar presentes ou gastar nas festas de fim de ano.