14/08/2014 00:00:00 Conheça quais são os produtos mais e menos taxados na sua conta

Fonte: JL

Está em vigor a lei federal que obriga todas as empresas e comércios a exibir na nota fiscal o valor dos impostos cobrados nos produtos. Com a obrigação de que seja visível para o consumidor, a informação deve ser expressa em reais ou em percentual.

O Brasil tem mais de 85 tipos diferentes de impostos e a reforma tributária é uma das pautas para a eleição. E você? Sabe quanto paga de impostos nas mercadorias que compra? Costuma observar?

Com base em uma lista da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), o JL selecionou as principais mercadorias em que a maior parte do que o consumidor paga é de impostos que vão para os caixas dos governos, acima de 50% do valor.

Quem costuma fumar, beber ou usar cosméticos tem o "bolso mordido" mais fundo.O destaque vai para a cerveja – em uma latinha que custa R$ 1,80 nos supermercados de Londrina, R$ 1 é de impostos (56%). Tomar banho quente também rende bons impostos: em uma conta de luz de R$ 100, R$ 48 são tributos.


O mesmo para um chuveiro elétrico comum, que custa cerca de R$ 50 nos supermercados de Londrina, dos quais R$ 24 (48%) vão direto para os cofres da Fazenda da União e do Estado.

Entre os produtos menos tributados, estão os medicamentos de uso animal (13%) – os de uso humano são formados em 34% por impostos.

Feijão, frango e farinha de trigo ficam em 17% e em um cafezinho de R$ 2 há embutidos R$ 0,20 em impostos. Já o litro do leite é taxado em 19%.

"Justiça social"

Para o professor de economia da Faculdade Pitágoras, Flávio Oliveira dos Santos, a cobrança de impostos tenta fazer uma espécie de justiça social tributária. "Ao cobrar uma alíquota maior de cigarros e bebidas, a lógica é que aqueles que tem recursos para pagar mais por supérfluos, financiem a tarifação dos produtos consumidos pelos mais necessitados."

No entanto, Santos alerta que nem sempre a lógica opera dessa maneira. Em uma compra de R$ 55,36 de produtos como macarrão, suco, sopa, materiais de limpeza, ovos, pães e temperos – alguns desses itens são considerados como supérfluos – R$ 16,30 foram impostos (25,89%).

“Com os remédios piora um pouco mais”, diz o economista. Ao comprar R$ 170 em medicamentos para faringite e artrose, R$ 45 eram de impostos, contabiliza.“Imagina o que uma pessoa com recursos limitados não poderia comprar com esse valor? É um bom dinheiro”.

10 produtos mais tributados

Medicamentos uso humano – 34%

Água de colônia – 50%

Cigarro – 80%

Cerveja – 56%

Chope – 62%

Chuveiro elétrico e conta de luz – 48%

Cosméticos – 55%

Vinho – 55%

Vodca – 82%

Tênis importado – 59%

 

10 produtos menos tributados

Medicamentos para animais – 13%

Cachorro quente – 15% Cadeira de rodas – 18%

Carne – 17%

Cebola – 16%

Farinha, feijão, frango – 17%

Livro – 16%

Café – 20%

Macarrão – 18%

Queijo – 17%