30/01/2015 00:00:00 Consumidor da classe C está mais cauteloso


Pesquisa realizada com consumidores de diversas regiões do País levou a Boa Vista SCPC a concluir que o brasileiro pertencente à classe C está mais consciente em relação às suas finanças e utiliza o crédito de forma mais responsável. O levantamento, realizado pela Boa Vista em parceria com o programa Finanças Práticas e divulgado ontem, mostrou que o consumidor está buscando mais informações quando o assunto é consumo. 

De acordo com os resultados, cerca de 64% dos brasileiros da classe C buscam conhecimento sobre como controlar seus gastos pessoais na TV, internet, rádio, jornais ou revistas especializadas. Além disso, 58% dos entrevistados afirmaram ter conhecimento das taxas de juros que incidem sobre as compras parceladas, sendo que 66% atribuem maior importância a essas taxas do que no valor das parcelas quando vão fazer uma compra. 

Segundo o presidente da Boa Vista SCPC, Dorival Dourado, o aprendizado e a maturidade levaram o consumidor da classe C a ficar mais atento às suas finanças. "Foi o aprendizado ao vivo e em cores. Eles (os consumidores da classe C) viveram até 2011, 2012, um cenário de crescimento da inadimplência e picos em determinados segmentos. Um exemplo clássico foi no financiamento de automóvel. Hoje, o consumidor está mais atento a esta questão pela vivência e pela prática." 

Ele acrescenta que muitos destes consumidores mais conscientes já foram inadimplentes em algum momento e que o índice de inadimplência "por despreparo ou impulso" vem diminuindo. O cenário macroeconômico, com alta inflação, altas taxas de juros, condições mais restritas de acesso ao crédito e desemprego, também deixam o consumidor mais alerta, afirma o presidente. 

Pesquisa e pechincha 

Os dados sobre o consumidor da classe C também dão conta que 94% fazem pesquisa de preço antes de irem às compras. Entre os itens mais pesquisados estão eletroeletrônicos, eletrodomésticos e roupas e calçados. Aproximadamente 80% afirmam ainda que pechincham antes de realizar uma compra e buscam se informar sobre preços na internet para poderem negociar melhores condições nas lojas. 

Na autopercepção sobre os hábitos de consumo, 54% da classe C declaram-se equilibrados, segundo a pesquisa, 12% econômicos e 27% consumistas. As mulheres e os consumidores sem filhos são os que se declaram mais consumistas, com 35% e 29% das menções, respectivamente. 

Controle 

Outros dados mostram que a maioria (85%) dos entrevistados têm algum tipo de controle de quanto gastam e quanto ganham no mês, e afirmam avaliar quanto do orçamento já está comprometido antes de efetuar uma nova compra. Além disso, segundo a pesquisa, 86% dos consumidores consideram importante compartilhar informações de gastos pessoais com familiares. "Isso mostra que o consumidor está preocupado com o comprometimento da renda e se isso pode gerar inadimplência no futuro", comenta Dourado. "Demonstra que o consumidor está preocupado, sim, com o seu nível de endividamento, e que o Brasil não corre o risco de superendividamento, como outros órgãos costumam comentar.". 

Os dados da pesquisa "Hábitos do Consumidor da Classe C" foram coletados por meio de um levantamento eletrônico, em outubro de 2014, com 1 mil consumidores da classe C. Para determinação da classe social foi utilizado o Critério FGV 2012, que considera consumidores com rendimento familiar mensal entre R$ 2.030 a R$ 8.700 como pertencente à classe média.