26/10/2018 15:58:27 Conversa com o Presidente: As preocupações com o nosso futuro

O município de Londrina vive um período decisivo para o seu futuro.  Com as bases de um novo ciclo virtuoso já lançadas, há grande expectativa para o desatamento dos nós que nos condena à estagnação e à falta de perspectiva.

O setor produtivo ganhou autoridade nesta questão ao liderar a construção desta nova ordem. De alguma maneira, associado, a ACIL e os parceiros montaram boa parte do quebra-cabeça de um novo modelo de desenvolvimento.

Na fase mais recente, juntamos ainda mais às forças, debatemos modelos, diagnosticamos problemas, apontamos os setores mais promissores e cobramos o envolvimento do setor público nas ações estratégicas. De alguma forma, Londrina já fez as reflexões de que precisava para escolher os rumos do desenvolvimento. O que nos falta é aliviar a burocracia e contar com uma grande agenda para as próximas décadas.

No momento, são exatamente estes dois aspectos que nos causa apreensão.  As discussões do novo Plano Diretor estão contaminadas por questões ideológicas e caminha para um resultado decepcionante.  Há chances reais do monstro da burocracia ficar ainda mais feroz na nossa cidade.

Mas há também a morosidade e um trabalho efetivo do governo municipal em relação aos demais pleitos de que entendemos salutares para uma nova era no município, a saber: alinhamento com a governança do ecossistema de inovação, a elaboração do Masterplan e o apoio concreto ao projeto de revitalização do centro.

O diálogo que mantemos não pode ser pretexto para que a Prefeitura seja inoperante ou omissa na implementação desta pauta. Continuaremos fazendo nossa parte e acreditando que Londrina vai passar por uma grande transformação.  Mas, agora, temos como prioridade cobrar com mais veemência as contrapartidas a cargo do poder público. Estamos coesos na ideia de que não é mais possível aceitar passivamente esta postura protelatória do Executivo.  Junte-se a nós nesta causa. O empresariado precisa se unir para engrossar o coro dos que não suportam mais esperar para ver a cidade renascer como um dos principais polos de progresso do País.  Já perdemos tempo demais!

Até a próxima,

Claudio Tedeschi

 

Frase da semana:

“O emocionalismo está sempre disposto a contribuir para a insensatez”,

Bárbara Tuchman (1912-1989), escritora norte-americana