09/04/2020 09:48:07 Crise pode derrubar PIB londrinense em 4%, alerta economista

Fonte: Assessoria ACIL 

Para entender melhor os efeitos da crise provocada pelo novo coronavírus em Londrina, a Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) solicitou uma análise ao Dr. Marcos Rambalducci, do Núcleo de Pesquisas Econômicas Aplicadas da Universidade Tecnológica Federal do Paraná e consultor econômico da ACIL. O economista analisou o impacto que as medidas restritivas, como o fechamento do comércio, serviços e indústria, podem trazer à cidade.

Utilizando dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rambalducci estudou a composição do PIB londrinense, as receitas da administração pública e a evolução do emprego formal em Londrina nos últimos anos, entre outros dados.

Segundo a análise, a prestação de serviços é responsável por 84% do PIB local. Caso apenas 50% do setor de serviços parassem as atividades, a perda na arrecadação diária em ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) seria de R$ 218.810,50. Já o recolhimento de ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) sofreria uma perda diária de R$ 321.923,61. Apenas estes dois impostos, portanto, provocariam um prejuízo de R$ 540.734,11 aos cofres da Prefeitura por dia.

Levando-se em conta os 21 dias de fechamento das atividades, a se completarem no domingo (12), ainda tendo como base apenas 50% do setor de serviços fechados, o total de prejuízo com ICMS e ISSQN somaria R$ 11.355.416,31.

Com 120 mil empregos formais no setor de serviços, dentro da projeção de 50% do setor com as portas fechadas, pelo menos metade desses trabalhadores (60 mil) não geraria receita para viabilizar seus salários. Com isso, cerca de 6 mil postos de trabalho seriam extintos, provocando uma queda de 4% no PIB de Londrina.