11/09/2014 00:00:00 Edital dá pontapé inicial ao BRT em Londrina

Fonte: JL

A Secretaria Municipal de Gestão Pública publicou ontem o edital de licitação para o projeto de 23 das 25 estações dos corredores do transporte rápido por ônibus (a sigla em inglês é BRT).

O preço máximo estipulado pelo edital é de R$ 195 mil e os envelopes devem ser abertos em 13 de outubro, mesma data em que se encerra o prazo para a apresentação das propostas.

De acordo com Carlos Geirinhas, o assessor especial responsável pela coordenação do BRT na administração municipal, depois de prontos os projetos a Prefeitura vai licitar a construção dos terminais. Ele disse esperar licitar as obras até março de 2015 para iniciá-la no segundo semestre.

O que é o BRT
O BRT, que consiste em canaletas exclusivas para ônibus nas vias rápidas, cortará a cidade no sentido de norte a sul e de leste a oeste. No primeiro caso, a linha vai da região próxima aos lagos da zona norte ao Jardim Acapulco, na zona sul, passando pela Rodovia Carlos João Strass e pela Avenida Dez de Dezembro. No outro sentido, é da região do terminal construído na Avenida Leste Oeste até a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), na zona leste.

Serão, ao todo, 12 terminais no sentido de leste a oeste e 11 no de norte a sul. Perto da rodoviária haverá um terminal que unirá as duas linhas e que fará a integração inclusive com os ônibus intermunicipais.

Outros editais
Além da Secretaria Municipal de Gestão Pública, responsável pela licitação, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Obras e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (Ippul). 
Geirinhas afirmou que, na próxima semana, deve sair outro edital, para a execução do projeto do terminal da zona norte. “Os terrenos já estão definidos, mas a liberação da área ambiental saiu depois”, justificou. O outro terminal, para completar 25, não foi informado.

Ele falou também que, em breve, será licitado o projeto da adequação das vias pelas quais o BRT vai passar.

Lotes 
Geirinhas adiantou que, no caso da licitação para construir os terminais, a administração municipal pretende dividir as obras em lotes e dividi-los entre empresas diferentes. Ainda não estão definidos em quantos lotes os terminais serão divididos.

Ele explicou que, além de promover mais concorrência, esse formato deve garantir uma conclusão mais ágil das obras. A previsão é de que fiquem prontas até 2018, sob o custo de R$ 143 milhões, com recursos do governo federal.

O secretário municipal de Obras, Walmir Mattos, acrescentou que, em algumas vias, as pistas para os ônibus nos dois sentidos serão construídas no meio e separadas por canaletas. O tráfego normal dos carros de passeio passará pelos lados. Os terminais também ficarão no meio das pistas.

Licitação
O secretário municipal de Gestão Pública, Rogério Dias, disse que o preço dos terminais só será conhecido depois de concluídos os projetos. “A partir disso saberemos o preço e a forma de definir os lotes na licitação para garantir que seja viável e mais rápido”, explicou. Todas as definições sobre os parâmetros para a licitação virão da Secretaria Municipal de Obras.