22/08/2014 00:00:00 Empresa londrinense está entre as que mais cresceram no país

Fonte: Gazeta do Povo

Das vinte pequenas e médias empresas (PMEs) que mais cresceram no Brasil de 2011 a 2013, cinco são paranaenses. É o que revela a 9.ª edição de um levantamento feito pela consultoria empresarial Deloitte em parceria com a revista Exame PME. Na lista completa, que traz 250 companhias, o Paraná é o terceiro estado com mais representantes, com 20 empresas – atrás somente de São Paulo e Rio Grande do Sul. No recorte regional, o estado também teve destaque.

 

O levantamento contou com 460 inscrições e classificou as empresas com faturamento anual entre R$ 3 milhões e R$ 350 milhões que mais prosperaram no período. Na média, as cem primeiras colocadas fecharam o período com um aumento anual de 35%. A líder nacional, a catarinense Welle Laser, encerrou o triênio com uma expansão de 303% ao ano, por exemplo.

Segundo o gerente de research da Deloitte, Giovani Banchetti, é difícil apontar um elo para o crescimento expressivo das líderes, mas todas reúnem estratégias inovadoras e agressivas de expansão. “Existem companhias que receberam aportes financeiros, outras que incorporaram novas empresas e aquelas que simplesmente apresentaram um crescimento orgânico muito expressivo, mas cada uma tem sua história.”

Os casos paranaenses são bons exemplos disso. Uma mudança no modelo estratégico, por exemplo, foi o que fez a Agres, empresa de agricultura de precisão de Pinhais, a liderar o ranking paranaense e chegar ao quarto posto na lista nacional. “Nos espelhamos em um modelo como o da Apple”, resume Rafael Klien, diretor executivo da empresa.

Fornecedora de equipamentos para fabricantes de máquinas agrícolas, a empresa focou em uma equipe capacitada para o desenvolvimento dos seus produtos e apostou na produção terceirizada. Hoje, são 39 funcionários – 22 engenheiros ou técnicos, dos quais 11 dedicados exclusivamente na área de pesquisa e desenvolvimento (P&D).

No período avaliado pelo estudo, a empresa apresentou um crescimento anual de 128%, com um salto da receita líquida de R$ 2,7 milhões em 2011 para R$ 15,4 milhões em 2013.

A terceira paranaense mais bem colocada foi a prestadora de serviços de alimentação Apétit, de Londrina. Ainda que boa parte dos 75% de crescimento anual se deva a incorporações de outras companhias, o diretor financeiro da empresa, Decarlos Manfrin, atribui que mais da metade da expansão se deve a um crescimento orgânico, motivado por mudanças estratégicas. “Desde 2012, demos uma atenção maior ao Sul e Sudeste do país, com um bom serviço de refeições coletivas. Para conquistar este mercado, investimos muito na capacitação e fidelização dos colaboradores e na retenção de clientes”, explica. A empresa criou a Universidade Corporativa Apetit (Uniap) para formar e treinar seus profissionais e novos talentos.

Tecnologia

O perfil de negócios do Paraná é diferente dos demais campeões de crescimento. Das 25 empresas que mais cresceram em todo o território nacional, 13 atuam no setor de informática, TI e internet. Já no Paraná, das 20 empresas que figuram entre as 250 do ranking, apenas quatro são deste setor – a melhor ranqueada delas, a Pelissari Informática, é apenas a oitava paranaense melhor colocada.