14/08/2017 07:56:07 Entidades buscam fortalecer Londrina como polo de eventos regionais de saúde

Fonte: Folha de Londrina

Apesar de ser considerado um polo de saúde, Londrina sedia poucos eventos do setor. Essa é a visão do Londrina Convention Bureau, do Salus (Saúde Londrina União Setorial) e do Sebrae Londrina. As três entidades se uniram para fazer da cidade também um polo para eventos regionais de saúde. "Somos fortes tanto no turismo de negócios e eventos quanto na saúde. Estamos trabalhando em conjunto para potencializar os dois setores", explica Simone Millan, consultora do Sebrae Londrina. Segundo ela, o município tem potencial para absorver 70% a 80% dos eventos de saúde que ocorrem no País. 

As entidades não têm números que revelam a quantidade de eventos de saúde que ocorrem em Londrina, mas afirmam que são "esporádicos". "Acontecem, mas pela variedade de especialidades, pelo número de médicos que temos, é muito pouco. Se você considerar um (evento) paranaense de cada especialidade, teoricamente, uma vez a cada quatro anos você teria que ter alguma coisa. Tendo 30 especialidades diferentes, então seriam, por ano, 7 a 8 congressos, um a cada dois meses (em Londrina)", comenta João Santilli, presidente do Salus. 

"No Brasil, existem milhares de eventos na área de saúde", observa ainda Arnaldo Falanca, diretor executivo do Londrina Convention Bureau. Ele observa que o setor ainda se "desmembra" em diversas especialidades médicas e em conferências, simpósios e jornadas, uma grande oportunidade para atração desses eventos à cidade. A necessidade de atualização constante dos profissionais da área de saúde também alimenta o mercado de turismo, diz Simone. "A organização de um evento em uma cidade também movimenta restaurantes, empresas de organização de eventos, locadoras de equipamentos, floriculturas, que não necessariamente estão ligados à área de turismo", exemplifica. 

Segundo o diretor executivo do Londrina Convention Bureau, 52 áreas da economia são movimentadas pelo setor do turismo de negócios. "Esse público (da saúde) vem com um poder de aquisição real, que fatalmente irá afetar os setores de hotéis, gastronomia, compras, transporte." A estimativa, conforme ele, é que um evento movimente R$ 150 mil ao dia. "A cidade ganha muito com isso, inclusive gerando arrecadação de impostos." No setor de saúde, Santilli reforça que os eventos realizados em Londrina fazem aumentar a participação dos profissionais da cidade e "melhoram o nível das pessoas que trabalham localmente". 

POTENCIAL 
Londrina, segundo Falanca, tem estrutura de hotelaria, gastronomia e eventos para comportar eventos regionais (paranaenses, sul-brasileiros), com capacidade para cerca de 800 pessoas. "Até então eram muito pesquisados congressos brasileiros médicos. Mas o próprio Convention descobriu que esses congressos recebem acima de mil, até 6 mil pessoas, e a cidade não comporta. Gastronomia comporta, hotelaria comporta, mas não temos um espaço apropriado, embora o Centro de Eventos seja um excelente espaço." Para o diretor executivo, salas de convenções em hotéis, auditórios em shopping centers, clubes e buffets e até mesmo salas de cinema da cidade são outras opções de espaços para eventos regionais.