12/11/2014 00:00:00 Farmácias e óticas têm maiores crescimentos

Fonte: Folha de Londrina

As vendas no varejo cresceram em cinco dos 12 setores analisados na Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR), quando observado o acumulado de janeiro a setembro. As maiores altas foram de farmácias (13,54%) e de óticas e lojas de cine-foto-som (8,67%). 

Na sequência, aparecem os varejos de combustíveis (8,18%), calçados (4,94%) e lojas de departamentos (1,79%). Por outro lado, houve quedas em autopeças (-20,74%), concessionárias de veículos (-20,22%), móveis, decoração e utilidades domésticas (-7,36%), livrarias e papelarias (-4,16%), materiais de construção (-0,90%), vestuário e tecidos (-0,76%) e supermercados (-0,74%). 

O consultor econômico da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Marcos Rambalducci, acredita que a cidade está sentindo mais o processo recessivo pelo qual passa a economia nacional. "O que esperamos é que ocorra uma recuperação no fim do ano." 

Apesar da expectativa, ele diz que dificilmente a cidade sairá da taxa negativa até o fim do ano. "Temos pesquisas que apontam que o valor das vendas no fim do ano em Londrina devem sofrer incremento de 5,75%, mas isso ainda é abaixo da inflação. Porém, trabalhamos com a expectativa de que 40% do 13º (salário) que entrou seja direcionado ao consumo na cidade", diz Rambalducci.