08/11/2017 07:45:42 “Liderança é aquela que tem coragem de fazer diferente”

Fonte: Revista Mercado em Foco - ACIL - Por Susan Naime 

Qual é a fórmula ideal para se tornar um bom líder? É possível alcançar a felicidade em um cenário formado por incertezas econômicas e instabilidade política? Qual é o papel das empresas na vida de seus colaboradores e como isso otimizaria o rendimento da equipe? Para Márcio Fernandes, eleito pela Revista Você S/A o líder mais admirado do Brasil, as respostas para os questionamentos acima giram em torno de uma única filosofia: ter um propósito de vida. Fernandes presidiu a Elektro, uma das maiores companhias de energia elétrica do mundo, eleita por sete anos consecutivos uma das melhores empresas para se trabalhar. Para ele, a sociedade que criou o funcionário que acorda cedo todos os dias e vai para o seu trabalho apenas por obrigação e dinheiro, deve ser imediatamente repensada. Autor do livro “Felicidade dá lucro”, Márcio Fernandes foi um dos destaques do Lidere 2017 e encantou uma plateia de mais de 700 pessoas com sua filosofia sobre liderança e felicidade. Confira a entrevista que o investidor concedeu para a equipe da revista Mercado em Foco.

Mercado em Foco: Você mostra sua vibração, sua paixão para falar sobre ideias. Mas notamos hoje muitas pessoas preocupadas em guardar para si seus projetos e forma de pensar. Como deve ser o comportamento de um líder?

Márcio Fernandes:
Eu acho que o mundo tem ficado muito chato, as pessoas estão engessando muito e seguindo padrões burocráticos que já não funcionam mais. Está faltando propósito e coragem. Felizmente já tenho percebido algumas mudanças de pessoas que começaram a acreditar um pouco mais, se arriscar um pouco mais e ter mais coragem. A liderança que é necessária é aquela que tem coragem de fazer diferente para mudar, de pensar em coisas novas e, sobretudo, implementar, descer do pedestal, interagir com as pessoas e fazer acontecer coisas que a gente acredita mais.

Mercado em Foco: Quais as características que não poderiam faltar em um bom líder?

Márcio Fernandes: Humildade, simplicidade, proximidade, credibilidade e confiança. Se tiver isso já é um bom começo.

Mercado em Foco: Você também fala muito sobre a felicidade. Ela é essencial para os líderes e para as empresas?

Márcio Fernandes:
A felicidade nasce naturalmente quando está conectada com o propósito. Precisamos ter uma base muito sólida sobre valores, coisas que a gente acredita e que norteiam o nosso dia a dia. E a base para o nosso propósito é justamente o que nos faz caminhar além. A combinação desses fatores gera muito mais momentos de felicidade, e isso é fundamental para o líder, o cidadão comum, a dona de casa, para todo mundo. As pessoas estão ficando cada vez mais carrancudas, aborrecidas, frustradas, então precisamos resgatar valores para nortear os nossos propósitos e começar a ser mais feliz.

Mercado em Foco: Vivemos hoje em um cenário inconstante, com incertezas e regado de notícias boas e ruins. Como engajar pessoas que ficam à deriva com tantas informações diferentes?

Márcio Fernandes:
É uma pergunta ótima! Estou lançando agora em novembro o meu segundo livro que se chama “O Fim do Círculo Vicioso”. Muita gente tem vivido um círculo vicioso, o ambiente da mesmice, da tristeza, da frustração, do pessimismo e já nem percebem mais. Faço um convite para que as pessoas olhem para elas mesmas e tentem se conhecer melhor, para saber o que de fato poderá reconectá-la àquilo que faz ela feliz. Esse pessimismo que vem com a crise, esse sofrimento, faz com que as pessoas se afastem de coisas que são básicas, inclusive da vontade de vencer. Ela já não acredita mais nela, a autoestima está profundamente afetada e isso reflete não apenas na empresa, mas na vida da pessoa também. Então, a proposta é que as pessoas consigam olhar para si, acreditar nelas mesmas, praticar um pouco mais as coisas boas, melhorar a vida, melhorar a empresa, melhorar as condições do nosso país, e depois compartilhar com todas as pessoas. Isso é possível e faz com que todas as pessoas engajem porque elas querem. Eu não conheço nenhuma pessoa que não queira fazer coisas boas, que não queira melhorar. O que a gente precisa é encontrar um caminho para acabar com a “burrocracia” e fazer com que as pessoas também sejam felizes dentro das empresas, no dia a dia, no ambiente de trabalho e não precisem ir embora dali para conquistar a felicidade. As empresas que forem mais modestas, humildes e simples vão conseguir isso mais rápido. Eu costumo dizer que existem duas opções - pelo amor ou pela dor, é a empresa que vai decidir.

Mercado em Foco: O líder é uma pessoa solitária?

Márcio Fernandes:
Eu, como líder, digo que não sou. Mas isso é uma opção de cada um. Por muito tempo foi fashion dizer que o líder é solitário. Esse é um pensamento exclusivista, individual de isolamento e que eu discordo totalmente. Sempre fui um líder participativo, sempre estive junto e misturado. É isso que faz da gente um líder, que faz sentido para as pessoas. Líderes precisam ser exemplos e deixar legado. E existem ainda líderes que preferem se isolar, alguns por opção, porque não conseguem pensar diferente, e outros porque não sabem fazer algo em conjunto. Nos dias de hoje, em especial, vale essa liderança humanizada, que se relaciona com facilidade e está sempre em desenvolvimento.

Mercado em Foco: De acordo com a sua filosofia sobre felicidade, proximidade e engajamento, qual é hoje o modelo ideal de gestão para as empresas?

Márcio Fernandes:
Na minha visão é um pouco menos de frescura, um pouco menos de glamour e mais participação efetiva fazendo com que as pessoas também possam participar. É importante mostrar para as pessoas que elas podem fazer da empresa o veículo que as leva para o seu sonho. Se ela cuidar bem desse veículo, deixá-lo com a manutenção em dia e tratá-lo com carinho, ele irá levar com mais conforto e mais segurança sempre. Então, falta esse ajuste fino que eu chamo de convergência de propósito.