30/09/2014 00:00:00 Montadoras dão férias coletivas no Estado


Trabalhadores das fábricas da Renault e Volkswagen, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, entram em férias coletivas neste mês de outubro. Na montadora francesa, a medida tem início no dia 13 e segue até o dia 22, envolvendo 3 mil colaboradores, do total de 6,5 mil. A alemã, que tem 3.250 empregados na fábrica paranaense, não divulgou quantos serão impactados, apenas afirmou, em nota, que a medida vai abranger "o primeiro turno produtivo, de meados de outubro até início de novembro". 

Na Renault, as férias coletivas para regularização do estoque atingem a divisão de motores e a de carros de passeio, onde são produzidos os modelos Logan, Sandero e Duster. Segundo a assessoria da montadora, vão deixar de ser produzidos 10 mil veículos e 12 mil motores no período previsto. Atualmente, a fábrica de São José dos Pinhais produz 1.300 carros e 1.700 motores por dia. 
A Renault já havia dado férias coletivas aos trabalhadores em junho deste ano, com o mesmo objetivo. A Volkswagen já concretizou dois acordos de layoff com os metalúrgicos, suspendendo temporariamente os contratos de 300 trabalhadores, em fevereiro, e outros 400, em maio, para evitar demissões. 
Em um ano ruim para o setor automotivo, a Renault vem obtendo crescimento nas vendas no mercado nacional, no entanto, foi bastante afetada pela queda nas exportações para a Argentina, mercado que absorve 25% da produção da marca. De janeiro a agosto, as vendas para o país vizinho caíram 56%. Por isso, mesmo acreditando em recuperação do mercado interno neste segundo semestre, a montadora sabe que vai ser um impacto difícil de superar. 
De janeiro a agosto deste ano, as vendas de automóveis e comerciais leves no País acumulam queda de 9,51% em relação ao mesmo período de 2013, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).