07/07/2015 00:00:00 Núcleo de E-commerce vai preparar empreendedores para competir no mercado online

Fonte: Assessoria ACIL

A tendência do mercado é buscar soluções rápidas e práticas para simplificar a vida do consumidor. E a transição da empresa física para a empresa digital está acontecendo muito mais rápido do que se imagina. Em 2016 o Brasil deverá ser o 4º maior mercado de e-commerce do mundo, segundo um estudo da consultoria italiana Translated. O dado crava em definitivo a importância do setor para o desenvolvimento no mercado.


Atenta à tendência, a ACIL lançou nesta terça-feira (7) o Núcleo de E-commerce com o objetivo de reunir empreendedores do ramo para discutir as dificuldades comuns e traçar um planejamento estratégico para o mercado de compra virtual.


O grupo deverá se reunir periodicamente, acompanhados pela consultora e parceira da ACIL Sheila Dal-Ry, para buscar caminhos que levem ao desenvolvimento e crescimento. “A gente percebe que em Londrina ainda existe uma falta de maturidade para o e-commerce. Por isso, o objetivo do núcleo é solidificar os empresários da loja virtual e juntos ter um direcionamento, até no que diz respeito à contratação de fornecedores e capacitação de equipes. Isso ajudará a aumentar a competitividade com as grandes empresas que já estão no mercado e que têm muitos recursos”, explica Sheila.


Para a consultora, por mais que o e-commerce permita explorar um espaço amplo de mercado, a orientação direcionada é fundamental para que o planejamento não acabe frustrado. “Por mais que se venda tudo online, nem tudo tem mercado que dê sustentabilidade à empresa. O mercado online permite vender para o mundo inteiro, mas o mundo inteiro talvez não seja viável. Pensar primeiramente na plataforma para montar uma loja virtual não é o suficiente. Além de ter uma boa plataforma, precisa existir o marketing. De que adianta ter uma sede linda e não existir cliente para comprar? A empresa precisa estar pronta e informada sobre qual é o comportamento do seu cliente. Também é preciso se atentar ao fluxo de consumo do potencial mercado a ser explorado”, ensina.


Programa Empreender


O Núcleo de E-commerce faz parte do Programa Empreender, que propõe unir empresários de um mesmo setor e tornar parceiros os que antes se viam apenas como concorrentes. “O Empreender vem de encontro com o objetivo principal da ACIL que é o associativismo, ou seja, unir as pessoas em busca do fortalecimento. Este é um núcleo que extrapola as fronteiras do município e por isso ele é muito estratégico para os empresários. Os encontros na ACIL vão proporcionar que os empreendedores desse setor se encontrem e discutam as dificuldades, as oportunidades e como podem viabilizar estratégias que, sozinhos, demorariam muito mais para enxergar”, exalta a diretora da ACIL Alexandra Yusiasu dos Santos. “Estamos abrindo um novo mercado. E enquanto a gente se ver como concorrente, não iremos conseguir enxergar o mundo que nós temos lá fora”, completa.


Vontade de inovar


A empresária Neusa Sato possui há 45 anos uma loja física especializada em flores e decoração. De uns tempos para cá percebeu a necessidade de explorar os seus produtos no mercado online. “Montei um site através do Sebrae - que ainda não foi ao ar, fiz vários cursos e estou seriamente interessada em aprender a trabalhar com o e-commerce. Depois de 45 anos no mercado, sinto a necessidade de estar também na internet. Vejo o pessoal da terceira idade desinteressado no assunto, mas hoje em dia precisamos estar atualizados para poder competir. Parece difícil, mas nada é impossível. Tudo depende do nosso empenho. Quero tentar dar o exemplo para esse público que está muito acomodado”, conta dona Neusa.


Aprimorar para competir

Já o objetivo do empreendedor Felipe Martins é se atualizar. Há oito anos ele possui uma loja virtual especializada em cadeiras e móveis para escritório e residência. “Achei a criação desse núcleo muito interessante por ser um grupo específico da área de e-commerce. O cenário muda muito rápido e precisamos estar em compasso para não ficar para trás. As pessoas podem achar que não, mas quem trabalha com o e-commerce se depara com as mesmas dificuldades de quem possui uma loja física. Cada cliente tem um perfil e você precisa conquistar a confiança do público que teme cair em fraudes ou armadilhas. São dificuldades que qualquer negócio tem”, ressalta o empresário. “Mesmo sendo uma loja virtual, se você quiser ter sucesso é preciso trabalhar dois fatores muito importantes: capital para o investimento e a concorrência, que na internet é muito maior”, afirma.


Confira mais detalhes do lançamento do Núcleo de E-commerce aqui.


Serviço: Os interessados em participar do Núcleo de E-commerce podem entrar em contato com a ACIL através do telefone (43) 3372-3010.