10/04/2015 00:00:00 Prefeito convoca produtores a lutarem contra aumento de juros

Fonte: Folha de Londrina

Ex-presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP), o prefeito Alexandre Kireeff discursou na solenidade de abertura da ExpoLondrina exaltando os produtores a lutarem para manter os juros baixos do financiamento rural. Ele acredita que o Plano Safra, a ser divulgado pelo governo federal em junho, trará aumento das taxas. "O financiamento agrícola do ano passado foi de R$ 150 bilhões. Cada ponto percentual a mais na taxa representa R$ 1,5 bilhão. Nesta conta simples, cada ponto porcentual vai retirar todo esse dinheiro da economia, da geração de emprego", declarou. Para Kireeff, se existe uma chance de o País recuperar sua economia em curto prazo será investindo na agropecuária. O prefeito ressaltou que todos os setores econômicos estão tentando se defender do ajuste fiscal. E que os produtores rurais devem fazer o mesmo. Ele também disse que está cumprindo uma promessa feita na abertura da ExpoLondrina no ano passado de arrumar as estradas rurais. 

Durante a solenidade de ontem, o atual presidente da SRP, Moacir Sgarioni, ressaltou a força do agronegócio paranaense. "Somos o primeiro lugar na produção nacional de milho, de frango, de feijão e alevinos. Ajudamos o Brasil a bater recordes de produção. O que seria do País não fossem os produtores rurais?" 

E cobrou investimentos em infraestrutura para reduzir custos logísticos do agronegócio, bem como redução da carga tributária, para tornar a atividade mais competitiva. Segundo Sgarioni, a carga sobre alimentos processados no País é de 36% contra 7% nos países mais desenvolvidos. "As Nações Unidas esperam que o Brasil vá produzir 40% de todos os alimentos consumidos no mundo", afirmou. 

O secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, também enumerou feitos do agronegócio paranaense. "Somos muito grandes. Estamos perto da produção de 95 milhões de toneladas de soja. Em dez aninhos, estaremos em 130 milhões de toneladas. Já temos 70 milhões de toneladas de milho. E daqui a dez aninhos, teremos 100 milhões", ressaltou. Ortigara disse ainda que, em 10 anos, o Paraná deixará de ser importador para se transformar em exportador de trigo.