22/03/2018 19:02:06 Presidente da ACIL comemora avanço no projeto de metrópole regional

Uma mancha urbana que se espalha entre em torno de um eixo de desenvolvimento único entre Londrina e Maringá, passando por Apucarana, merece uma atenção especial dos gestores públicos. A antiga ideia reconquistou seu apelo na manhã desta quinta-feira com a assinatura do contrato para execução do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável Metrópole Paraná Norte em solenidade realizada na ACIL. Estiveram presentes o governador Beto Richa, o prefeito Marcelo Belinati e líderes políticos da região.

 O presidente Claudio Tedeschi comemorou o avanço e ressaltou os méritos do planejamento estratégico que pode transformar as potencialidades deste grande eixo urbano em geração de emprego e renda e, sobretudo, desenvolvimento humano.

“No nosso país, os governantes em geral têm sempre a ideia de fazer projetos que durem a gestão dele e os estruturantes duram algumas décadas. Por isso, é preciso haver planejamento de médio e longo prazo, que sejam seguidos independentemente de quem ganhe a eleição. Este plano é uma mudança de paradigmas importantíssima, em que se passa a ter um projeto de Estado, dando-se continuidade a projetos por 20, 30 anos. As entidades serão as guardiãs desse projeto de futuro”, destacou.

O Plano da Metrópole Paraná Norte inclui 15 municípios que concentram 15% da população do Estado e 14% do PIB paranaense. “O trabalho vai orientar o crescimento intenso, vigoroso e ordenado de toda essa região”, afirmou o governador. “Será um grande salto para o desenvolvimento planejado”, avaliou Richa.

Os 15 municípios, com aproximadamente 2 milhões de habitantes, são Apucarana, Arapongas, Cambé, Cambira, Ibiporã, Jandaia do Sul, Jataizinho, Londrina, Mandaguaçu, Mandaguari, Marialva, Maringá, Paiçandu, Rolândia e Sarandi.

Para o prefeito Marcelo Belinati, a assinatura do plano marca um momento histórico para Londrina e os municípios da região. “É um momento histórico para a região norte do Paraná, porque é um projeto para se pensar o futuro de Maringá a Londrina, de forma planejada, construindo uma nova realidade, identificando as potencialidades dos municípios, planejando o desenvolvimento conjunto e sustentável, de maneira a trazer avanços econômico e social”, ressaltou o prefeito de Londrina.  

Para a consultoria, foram contratadas as empresas Urbtec TM Planejamento e Consultoria, de Curitiba, e a Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos (Cobrape), de São Paulo. Elas farão um estudo técnico sobre as potencialidades, as demandas e as necessidades desses municípios em diversas áreas, como desenvolvimento industrial, infraestrutura, transportes, serviços de saúde, educação, agricultura, entre outros.

As vencedoras da licitação terão o período de um ano para finalizarem o estudo e entregarem suas propostas para a Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral, do governo estadual do Paraná. O prazo começa a correr a partir da assinatura do plano, finalizando, portanto, em março de 2019.

Para os trabalhos de consultoria, o governo do Estado investirá R$ 3,51 milhões, que devem ser executadas em 12 meses. Os recursos advém do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). Após a apresentação dos resultados, caberá ao governo do Paraná decidir quanto e quais recursos serão destinados para as ações do Plano de Desenvolvimento.

O secretário do Planejamento, Juraci Barbosa Sobrinho, disse que trabalho seguirá cinco etapas: elaboração do plano de trabalho, contextualização da região, construção de cenários e visão de futuro, elaboração do plano de ação e, por fim, conferência regional. “Trata-se de uma metodologia avalizada pelo próprio Banco Mundial”, disse.

Mais R$ 22 milhões para ampliação do sistema de água e esgoto

Na solenidade, também foi assinado contrato entre Sanepar e Caixa Econômica Federal para ampliação da rede de tratamento de esgoto e abastecimento de água da cidade de Londrina e dos distritos de Warta, Selva, Guairacá, Irerê e Maravilha. O investimento será de R$ 22 milhões. “A ampliação garantirá o abastecimento pelos próximos 30 anos”, afirmou o presidente da Sanepar Mounir Chaowiche.

(Com informações das assessorias de imprensa do Governo do Estado e da Prefeitura de Londrina)