03/09/2014 00:00:00 Candidatos ao governo estadual discutem problemas da agenda de Londrina

Fonte: JL

Duplicação da PR-445; integração do transporte coletivo intermunicipal; e enfrentamento da defasagem de mão de obra no Hospital Universitário (HU). Estas são algumas das agendas de Londrina, levantadas pelo JL com lideranças municipais. Cada uma delas foi contextualizada e transformada em perguntas encaminhadas aos candidatos ao governo do Paraná, que participarão hoje de um debate na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Dos oito candidatos, apenas quatro responderam.

Autonomia da UEL 
Na opinião da reitora da UEL, Berenice Jordão, a autonomia é “uma agenda fundamental” para as universidades paranaenses. “A natureza do trabalho e a dinâmica das atividades dependem do pleno exercício de uma autonomia didática, acadêmica, administrativa e de gestão financeira.” Segundo ela, esta seria a única forma de “as universidades públicas cumprirem o real papel social e contribuir com o desenvolvimento regional”.

Contratações para o HU
A ausência de uma política de contratação de pessoal para o HU é um gargalo, segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Técnicos Administrativos da UEL (Assuel), Marcelo Seabra. O déficit de servidores no hospital que atende a toda a região é dramático. “Tem gente que não consegue tirar férias porque não há quem substitua”. As vagas não repostas vão de médicos a auxiliares de enfermagem.

Integração do transporte coletivo
Quem mora em cidades da região e trabalha em Londrina (ou vice-versa) e vai de ônibus não tem opção. Não existe um terminal intermunicipal nem integração no transporte coletivo. Isto impede que a região busque tratamento idêntico ao conquistado pela região de Curitiba. Lá, o governo do Estado dá cerca de R$ 60 milhões anuais para subsidiar R$ 0,30 por passagem porque o transporte é integrado. “A integração é importantíssima para garantir a mobilidade adequada”, avalia o prefeito Alexandre Kireeff (PSD).

Infraestrutura e desenvolvimento
Não existem rodovias duplicadas para chegar ou sair de Londrina. Por isso a região perde competitividade. A falta de infraestrutura e o preço do pedágio encarecem o escoamento da produção e dificultam a atração de empresas. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Valter Orsi, defende que a competitividade seja resgatada com incentivos fiscais. Em outras palavras, um tratamento tributário diferenciado para compensar as deficiências e dar condições igualitárias para atrair investimentos.

Direitos humanos 
Londrina precisa de uma Defensoria Pública e melhores condições carcerárias, para que a sentença cumpra o papel de ressocialização. Para Carlos Santana, do Centro de Direitos Humanos (CDH-LD), sem direito à ampla defesa e ao acompanhamento da execução das penas, a ressocialização é impossível.

Meio Ambiente 
Londrina tem o Jardim Botânico e a Mata dos Godoy como equipamentos ambientais sob responsabilidade do Estado. O Jardim Botânico foi aberto sem a estrutura adequada. Na Mata dos Godoy também faltam investimentos na estrutura. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) está esvaziado.

Candidatos ao governo do PR participam de debate na UEL

Candidatos ao governo do Paraná participarão do debate que ocorrerá hoje, a partir das 9 horas, no Anfiteatro Cyro Grossi, no Centro de Ciências Biológicas (CCB), no campus da Universidade Estadual de Londrina (UEL). O encontro é promovido pelas entidades sindicais das Instituições de Ensino Superior do Paraná. O JL on-line (www.jornaldelondrina.com.br) fará a cobertura em tempo real.

Foram convidados Beto Richa (PSDB), Gleisi Hoffmann (PT), Roberto Requião (PMDB), Bernardo Pilotto (Psol), Geonísio Marinho (PRTB), Ogier Buchi (PRP), Rodrigo Tomazini (PSTU) e Túlio Bandeira (PTC). Nem todos confirmaram presença até ontem.

Além da cobertura em tempo real, o repórter do JL Fábio Silveira será o mediador do debate. Além de repórter de política e autor do blog Baixo Clero, ele é professor do Departamento de Comunicação da UEL.

De acordo com a UEL, o debate é aberto à comunidade. A expectativa é de que um grande número de estudantes, professores e agentes universitários acompanhem o encontro. O debate terá transmissão ao vivo pela UEL FM (107,9 MHZ).