18/04/2016 00:00:00 Na Mercado em Foco: Capacitados para crescer

Fonte: Lucas Marcondes - Revista Mercado em Foco - ACIL

É unanimidade entre os especialistas em consultoria empresarial: a capacitação dos colaboradores é um aspecto essencial para o crescimento e a consolidação de um negócio. Em Londrina, o Centro de Capacitação Empresarial e de Pessoas (CCEP) da Acil é um mecanismo qualificado e seguro para conhecer e entender as necessidades do mercado – especialmente em um momento econômico delicado como o atual, em que muitas empresas se veem obrigadas a cortar na própria carne.

‘Fazer mais com menos’ tem sido palavra de ordem em diferentes áreas, como afirma a analista de produtos e serviços do CCEP, Mariana Reche. “Houve muita demissão e as empresas precisam se qualificar para que possam dar conta do serviço que antes era feito por um número maior de funcionários. As pessoas devem estar preparadas para fazer múltiplos papéis dentro da empresa.”

“Agora, nessa crise, só vão sobreviver os melhores.” A previsão é do consultor empresarial Alexandre Shimada. Segundo ele, a fórmula para sobreviver e encontrar saídas contra a recessão é aumentar a eficiência interna – em outras palavras, capacitar. “O treinamento traz resultados em toda a operação de uma empresa, desde as vendas e o atendimento até partes internas, como finanças e produção”, explica Shimada. “A operação vai ficar mais cara e o lucro, em geral, tende a cair”, alerta.

O segmento de automóveis e caminhões está entre os mais afetados pelo atual contexto econômico. Daniela Lopes, diretora da PB Lopes, concessionária da Scania que atua em Londrina e em outras seis cidades, diz que o cenário é de indefinição. “O setor de transporte, em geral, foi bastante afetado pela crise econômica em 2015 e o panorama para 2016 ainda é de incerteza”, declara. “Como nosso produto é um bem de produção, as linhas de crédito estão escassas e os rumos da economia estão indefinidos. O empresariado está em ritmo de espera.” 

Mesmo assim, conforme a empresária, os investimentos da concessionária em capacitação são constantes. “O maior patrimônio de uma empresa são as pessoas. Todo investimento em capacitação e desenvolvimento de talentos na organização é fundamental para que os objetivos sejam alcançados. A empresa procura estar alinhada às tendências do mercado para aproveitar as oportunidades, inclusive em períodos de crise.” Aliada a isso, a PB Lopes trabalha com metas para incentivar seu pessoal. Os prêmios vêm em forma de dinheiro, viagens e aparelhos eletrônicos.

Atualização constante

Há quem tenha acumulado números positivos durante os últimos meses e, ainda assim, não deixou de capacitar os colaboradores. É o caso de Valmir Pereira, proprietário da Cia das Águas, loja especializada em aquecedores e piscinas. Ele conta que 2015 foi um ano aquecido para o negócio e espera crescer até 10% em 2016. Ao mesmo tempo, a disposição de estar em constante atualização segue em alta. 

Além de participar de cursos sobre novos equipamentos dados pelos próprios fornecedores, a empresa de Pereira encontrou na ACIL e no Sebrae parceiros importantes para aperfeiçoar pontos como a técnica de vendas e o controle das finanças. “Eu venho de uma empresa que sempre deu prioridade a treinamentos. Pela velocidade das mudanças, a equipe tem que fazer sua reciclagem. E isso tem dado  resultados muito bons, eu tenho certeza que o cliente percebe”, observa.

A política que norteia a Gelt Tecnologia e Sistemas, empresa especializada em oferecer soluções tecnológicas para aperfeiçoar negócios, busca ir além da capacitação pontual. De acordo com Gilmar Machado, um dos sócios da empresa, são disponibilizadas bolsas de estudo para os funcionários. “A gente faz o financiamento de um curso mais avançado – não apenas o treinamento básico, mas também a formação superior. É um benefício para os dois lados”, avalia. Com o diploma em mãos, o colaborador assina um compromisso de permanecer na empresa durante um período determinado. Atualmente 99% do quadro da empresa é composto por pessoas formadas ou em processo de formação superior. 

E essas oportunidades não ficam restritas à área de tecnologia da informação. “Se o funcionário me provar que, ao fazer culinária, ele vai melhorar seu desempenho, ele vai ter o curso”, afirma Machado. Além disso, segundo o empresário, os treinamentos e palestras da ACIL são constantemente oferecidos aos colaboradores.

Reais necessidades

O consultor empresarial Alexandre Shimada lembra que, antes de optar por determinado treinamento, o empresário deve estar ciente das reais necessidades de seu negócio. “Para acertar mais, o empresário precisa escolher melhor. Não dá para ‘chutar’ sem entender o que o cliente espera. Se fica muito genérico, o dirigente da empresa pode tomar uma decisão errada”, adverte. 

Shimada avalia que já há certa conscientização no meio empresarial a respeito da importância da capacitação. Eficiência é a palavra da vez, reforça o consultor. “Os empresários com quem eu tenho conversado entendem a importância de se investir em treinamento e capacitação dos colaboradores. Eu vejo que o empresário que não fizer este investimento vai ter problemas. Se o funcionário não for eficiente, vai ser complicado atravessar essa crise.”

A gerente comercial da Guadaim Máquinas e Equipamentos, Simoni Santos, trabalha com uma equipe de 33 colaboradores que, em sua maioria, é composta por jovens funcionários. Ali, capacitar faz parte do vocabulário diário. Segundo Simoni, os cursos acontecem com regularidade desde 2013 e têm como foco aprimorar valores que são base para a empresa, como o bom atendimento, a confiabilidade e a transparência. “Houve uma procura muito grande nos últimos cursos. Quando acaba, tudo mundo fala que superou as expectativas.” 

Maneiras de motivar

Para que a capacitação e o estabelecimento de metas junto à equipe sejam eficazes, o consultor Alexandre Shimada lembra que o empresário tem de conhecer quais são as maneiras de motivar seu pessoal a participar ativamente disso. “Não adianta aumentar salário ou trocar mobiliário se não é isso que o funcionário quer. Motivação vem de fora para dentro: o empresário deve entender o que o colaborador precisa para se sentir motivado, e aí montar uma estrutura que dê essa motivação. Assim, aparece o bom funcionário.”

Shimada aponta ainda que, para desvendar o que motiva seu pessoal a fazer mais pelo negócio, o empresário precisa tirar o tema do campo da subjetividade. “A motivação não é uma aura impenetrável que fica em volta do funcionário. É um comportamento que surge por causa de uma série de variáveis. Se o empresário identifica essas variáveis, ele aumenta a motivação.”

Cursos bem avaliados

Mariana Reche, do CCEP da ACIL, conta que, em pesquisa recente com os alunos, as palestras e treinamentos mostraram que têm cumprido o que prometem. “Os cursos estão muito bem avaliados”, diz ela. “Eles são rápidos, mas não deixam de ser intensos em conteúdo.” 

Mariana explica também que, quando a empresa tem necessidades em áreas distintas, o Centro de Capacitação pode oferecer treinamentos modulares, que reúnem demandas ligadas umas às outras. A agenda de 2016 já está ativa e, conforme a analista de produtos e serviços, ainda vem muita coisa nova por aí. “Estamos pensando em várias novidades para oferecer temas novos e atuais que agreguem valor aos treinamentos”, adianta. 

Associados da ACIL e estudantes pagam menos para participar dessas iniciativas. A maior parte dos cursos é ministrada por mediadores da própria entidade. “Temos ótimos profissionais aqui no centro”, garante Mariana.

Serviço – Conheça os treinamentos oferecidos pelo Centro de Capacitação Empresarial e de Pessoas da ACIL pelo telefone (43) 3374-3082.