27/02/2015 00:00:00 Sebrae aponta áreas mais promissoras para abrir um negócio

Fonte: Jornal de Londrina

Mesmo com previsões desfavoráveis para a economia em 2015 – a expectativa do mercado, segundo pesquisa do Banco Central, é de retração, com PIB negativo para este ano – alguns setores devem sofrer menos os impactos negativos que estão por vir. Levantamento do Sebrae mostra que os serviços de reparos, em especial de eletrônicos e automóveis, além de negócios relacionados à estética e beleza devem seguir em crescimento mesmo com um cenário não tão favorável.

Reparar os estragos causados por pequenas e grandes batidas de trânsito é a especialidade da oficina que Rafael Garcia toca com o pai. Danos em pinturas e amassados nas latarias, entre outros, têm levado cada vez mais clientes até eles. Nesta época do ano, o movimento, que já era grande, tende a aumentar: Carnaval e ExpoLondrina respondem por uma boa parcela dos consumidores.

“O pessoal já chega querendo se explicar, ‘a culpa não foi minha, foi do outro’. Para nós não interessa, pode ser proprietário, seguradora, loja. Queremos é atender”, disse Garcia. “Percebemos ainda em 2012 que o movimento vinha aumentando a cada ano, principalmente quando chove forte na cidade por uns dias e em dias de festa, quando o pessoal costuma beber um pouco além da conta, como Ano Novo, Carnaval e exposição”, avaliou.

Esse movimento tem se mantido em alta em 2015, garantiu o responsável pela oficina. E não é por acaso. Segundo dados do Sebrae, serviços de reparos – em especial de automóveis e eletrônicos – estão entre os negócios com tendência de crescimento neste ano, mesmo com um cenário nacional desfavorável.

“O país vinha em um ritmo de crescimento e o ano de 2012 foi o auge. Muitas pessoas compraram carros e aparelhos eletrônicos, como celulares e computadores. Passados dois, três anos, é natural que esses bens comecem a apresentar defeitos. Com o aumento sucessivo das taxas de juros, a compra parcelada está cada vez mais cara. Por isso, a procura por serviços de reparos e consertos tende a aumentar”, explicou o consultor Rubens Negrão.

Estética e beleza

O setor de estética e beleza, em que trabalha a podóloga Juliana Benvenho, também é apontado pelo consultor do Sebrae como um dos que devem passar com menos impacto pela crise econômica prevista para este ano. Ela confirma a tendência de movimento em alta. “Até a Copa do Mundo estava meio em baixa, mas depois o movimento aumentou. Neste ano já foi possível perceber que janeiro foi bom, e agora, depois do Carnaval, tende a melhorar”, avaliou.

A explicação para esse aumento na procura é simples. “Temos um verão muito intenso e as pessoas passam a maior parte do ano com boa parte do corpo exposta. Acabam se preocupando com a beleza mais do que com qualquer outra coisa”, comentou. “Tem gente que deixa de fazer coisas básicas e essenciais só para fazer as unhas, cortar o cabelo”, confirmou Juliana Benvenho.

Apostas

Estética e serviços de reparos são negócios que já há pelo menos três anos apresentam uma tendência de alta em Londrina, segundo o consultor do Sebrae. Mas para aqueles que querem apostar em um negócio totalmente novo, as oportunidades são outras. O público da terceira idade está cada vez maior e ávido por consumo.

“Nossa população está envelhecendo. Estamos passando por uma mudança de comportamento. E qualquer negócio que venha atender as necessidades específicas desse público podem certamente fazer sucesso neste ano”, disse Rubens Negrão.

O público feminino em geral também deve estar na mira daqueles que procuram sucesso nos empreendimentos em 2015. O segredo é agregar serviços. “Consolidada no mercado de trabalho, a mulher quer tudo mais prático. Uma academia com serviço de estética e playground para as crianças, por exemplo, tem tudo para se tornar um sucesso”, declarou.

Onde não investir

E do que os investidores precisam fugir? “Negócios que dependam de produtos importados. Com o preço do dólar disparando, é impossível não repassar as altas nos preços. Se o público não for muito fiel, pode acabar se assustando e fugindo, inviabilizando o empreendimento”, orientou Negrão.