20/08/2014 00:00:00 Valores da terra nua disparam em Londrina

Fonte: Folha de Londrina

No momento da declaração do ITR, algumas informações são fundamentais para que seja calculado o valor do imposto que deve ser pago pelos produtores, entre eles o preço da terra nua. No Paraná, é tradição utilizar os números do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura (Seab). 

Porém, os produtores de Londrina levaram um susto com os últimos valores divulgados pela entidade em relação ao preço da terra nua na cidade. Isso porque, segundo o Deral, os valores estavam muito defasados e precisaram ser ajustados de uma vez. Portanto, com o aumento, os produtores terão que desembolsar maior valor à Receita. "Todos estão questionando a base dos valores do Deral. Vamos nos reunir na quinta-feira (amanhã) para ver o que é possível fazer. O pessoal está assustado", relata o presidente do Sindicato Rural Patronal de Londrina, Narciso Pissinati. 

De acordo com os números do Deral, a terra roxa mecanizada saltou de R$ 15,2 mil o hectare em 2013 para R$ 30 mil este ano. Já as áreas não mecanizáveis saltaram de R$ 7,6 mil o hectare para R$ 15 mil. "O que aconteceu foi um ajuste metodológico, já que os valores na cidade estavam muito defasados. Em média, no Estado, o acréscimo foi de 20% a 25% nos valores do hectare, mas em Londrina foi preciso fazer uma alteração mais brusca", explica um dos técnicos do Deral responsável pelos cálculos, Hugo Godinho. 

A justificativa do técnico do Deral faz sentido. Em Maringá, por exemplo, em 2013 a terra roxa mecanizada já estava sendo comercializada a R$ 36,5 mil (mais que o dobro de Londrina) o hectare e este ano saltou para R$ 44 mil. Já a não mecanizável subiu de R$ 18,2 mil o hectare para R$ 22 mil. "Esse erro metodológico de outros anos precisou ser ajustado completamente agora", finaliza Godinho. (V.L.)