17/07/2019 13:58:10 Varejo de Londrina registra alta em maio

Fonte: Folha de Londrina

Os dados da Pesquisa Conjuntural da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná) apontam crescimento de 4,01% nas vendas do varejo de Londrina em maio, na comparação com o mesmo período do ano passado. Destaque para os setores de óticas, cine-foto-som; lojas de departamento, materiais de construção e calçados.

No acumulado de janeiro a maio, o faturamento das lojas de departamento teve desempenho positivo, com alta de 26,36%, seguido por materiais de construção (5,49%) e ótica, cine-foto-som (4,66%). Mas no geral o comércio registra retração de -1,55%, puxado pela queda nas vendas de vestuários e tecidos, concessionárias de veículos, farmácias e livraria e papelaria.

O setor de lojas de departamento apresentou alta em todas as regiões, de acordo com o levantamento da Fecomércio. Segundo a coordenadora de pesquisas da Fecomércio, Priscila Andrade, o setor passou por momentos de retração em 2017, iniciou a recuperação em 2018 e, este ano, vem mantendo o movimento de alta.

No caso de óticas, cine-foto-som, Andrade comenta que a diversificação de marcas e produtos pelas óticas está elevando as vendas. “Como é um setor com faturamento baixo qualquer alta nas vendas tem um impacto significativo no faturamento”, explicou a coordenadora.

VESTUÁRIO

As vendas do Dia das Mães elevou o resultado do setor de vestuário e tecidos em maio em relação a abril. Segundo a pesquisa, a alta foi de 62,18%. O percentual é questionado pelo presidente do Sincoval (Sindicato do Comércio Varejista de Londrina), Ovhanes Gava.

Segundo ele, no geral, as vendas do Dia das Mães não atingiram a expectativa do varejo, que trabalhava com alta de 5%, mas ficou entre 2% e 3%. “Quando você se aprofunda no segmento e considera Dia das Mães e troca de coleção agregaram as vendas houve crescimento, sem sombra de dúvida. Mas eu diria que foi de mais ou menos 40%”, comentou, referindo-se ao setor de vestuário.

Gava acredita que no segundo semestre o comércio conseguirá reverter os dados negativos e fechar o ano com crescimento de até 5%. “O Dia das Crianças sempre dá um salto nas vendas e dezembro e o Natal devem superar as expectativas”, disse.

VEÍCULOS

Segundo a pesquisa, o setor das concessionárias de veículos está amargando baixas em todas as comparações. De janeiro a maio, a queda no faturamento foi de -17,34%, no comparativo de maio com o mesmo período do ano passado a baixa é de -1,87% e na relação abril/maio é de -4,84%.

O gerente de vendas da Fiat Marajó, Rogério Antonholi, afirmou que as vendas diminuíram em maio e junho e estão começando a melhor nestas primeiras semanas de julho. “Fomos pegos de surpresa. Ainda estamos tentando entender o que levou a essa queda. Talvez seja pelo cenário político, não sabemos”, comentou.

Na Nicenter, concessionária Nissan, teve queda nos clientes presenciais, mas a baixa foi compensada pela vendas on-line. “Mudamos a nossa estratégia de trabalho e estamos conseguindo atingir as metas”, disse Márcio Vinícius Azevedo Ruiz, gerente comercial.

O diretor comercial da Metronorte, concessionária GM, Waldir Rezende, disse que as vendas de janeiro a junho tiveram um crescimento de 6%, em função das promoções que a concessionária vem implementando. “Estamos conversando com o mercado e ouvindo o que ele quer”, declarou Rezende.