10/10/2018 08:28:40 Em dez ou quinze anos, classe média brasileira vai incorporar 35 milhões de pessoas

Fonte: Por Danilo Marconi - Lidere 2018 - ACIL

O Brasil passa por um novo ciclo de crescimento econômico e quem souber aproveitar as oportunidades do momento irá prosperar. Quem garante isso é Ricardo Amorim, considerado o economista mais influente do país, segundo a revista Forbes, e quem abriu o ciclo de palestras do Lidere 2018, o maior encontro empresarial do norte do Paraná e promovido pela Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL).

Ricardo Amorim é economista formado pela Universidade de São Paulo (USP), com pós-graduações no exterior, e que realiza amplo trabalho estratégico e de investimentos para empresas multinacionais. Ele é autor do best-seller “Depois da Tempestade”. Amorim se especializou em estudar as economias de países emergentes e, nesse contexto, a poucos dias de um pleito eleitoral no Brasil, falou para um público ávido por informação em Londrina.

A palestra ‘Por que e como a economia deve melhorar e surpreender positivamente nos próximos anos’ foi acompanhada por centenas de pessoas, que, durante 50 minutos, lotaram as dependências do Espaço Villa Planalto.

Gráficos demonstravam ao público que, após a crise política, o país passa por um ciclo econômico (fenômenos semelhantes a outras crises enfrentadas na história como nas décadas 1920, 1940 e 1980). Já são sete trimestres seguidos de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), com destaque para uma mudança fundamental de um setor econômico. “Pela primeira vez, a Indústria cresceu mais que o consumo do Comércio”, pontuou Ricardo Amorim. Ele demonstrou que se outras medidas foram adotadas pelo próximo governo, como uma Reforma Tributária, o avanço econômico pode ser ainda mais expressivo.

Nesse ciclo econômico, segundo análises de diversas consultorias, 35 milhões de brasileiros devem migrar da classe baixa para média e melhorar o desempenho do país (aproveitando que de cada quatro dólares produzidos, três são estão nos países emergentes). Educação e Saúde devem ter impactos imediatos com a melhora da renda do brasileiro. “E as cidades do interior do país, como Londrina, sentirão isso mais a fundo. Estudos mostram que cidades do interior tem crescimento muito maior que capitais”, enfatizou.

Observando essa linha de crescimento, que aponta que nos próximos cinco anos a renda per capita da população chegará a $ 10,7 mil dólares, o próprio palestrando citou a seu exemplo. Ricardo Amorim contou ao público que abriu, nos últimos meses, duas empresas nas áreas de inovação e consultoria (AAA Plataforma de Inovação e Smartrips.Co). “Não basta fazer a coisa certa, tem que fazer a coisa certa e na hora certa. Com a inovação, o que a humanidade produziu em mais de dois mil anos, será superado em apenas cinco (anos)”, contou. E o que você está fazendo para acompanhar essa tendência?